APRA compartilha artigo elaborado por Roberto de Andrade Silva do SINDISEAB. Estado já deve 8,53% de data base.

APRA mini novo

 

.

data-base

APRA compartilha artigo elaborado por Roberto de Andrade Silva do SINDISEAB. Estado já deve 8,53% de data base.

A APRA compartilha artigo elaborado por Roberto de Andrade Silva do SINDISEAB. Estado já deve 8,53% de data base.

Desejamos uma ótima leitura.

“Mais uma vez a LDO não prevê data base para o funcionalismo do Poder Executivo !

 

Governo do Paraná já deve 8,53% !

 

Os deputados aprovaram em primeiro turno, na sessão plenária de 5/7, na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro de 2018.

 

 

O projeto de lei nº 151/2017, do Governo do Estado, passou na forma de um substitutivo geral elaborado pela Comissão de Orçamento da Alep, que acatou 50 emendas à proposta original apresentadas pelos parlamentares. As emendas dizem respeito, em sua maioria, ao incremento das políticas e programas do governo, especialmente nas áreas social, de educação e de infraestrutura. A receita bruta prevista para o próximo ano será de R$ 60,7 bilhões.

 

Já os percentuais dos repasses aos demais Poderes permaneceram os mesmos, isto é, são iguais aos praticados no orçamento de 2017.

 

O Poder Legislativo receberá 5,0% do orçamento de 2018 (sendo 1,9% destinado ao Tribunal de Contas do Estado e 3,1% para a Assembleia Legislativa); 9,5% será destinado ao Poder Judiciário e 4,1% para o Ministério Público. Houve, no entanto, aumento nos valores previstos para a Defensoria Pública do Estado. O órgão terá R$ 65 milhões para o exercício de 2018, um orçamento 15% maior do que o deste ano. A matéria foi aprovada com 34 votos a favor e três votos contrários.

 

Mas, o que não se esperava era a manutenção dos artigos 29 e 30 no projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do próximo ano, cujos dispositivos vão permitir que o Governo novamente não realize em 2018 a reposição salarial dos servidores do Executivo.

 

Lembre-se que na LDO de 2017 artigos semelhantes foram aprovados, motivo pelo qual os servidores estão sem reposição salarial desde janeiro de 2017 (7,35%) e maio de 2017 (1,10%), gerando um percentual acumulado de defasagem salarial da ordem de 8,53%.

 

Agora, o mais absurdo é que a mesma Assembléia Legislativa do Paraná aprovou projetos de leis concedendo o índice de 4,08% alusivos à data base (maio/2017) para os servidores estaduais do Tribunal de Justiça, Ministério Público, Tribunal de Contas e Defensoria Pública.

 

Como é da ciência de todos, o governo do Paraná está devendo ao funcionalismo do Poder Executivo 8,53%: – jan/2017: IPCA 2016 (6,29%) + 1% de aumento real = 7,35%; – mai/2017: IPCA jan-abr 2017 é de 1,10%.

 

A não concessão da reposição salarial devida, no período de janeiro dezembro/2016 e janeiro a abril de 2017 (8,53%), implicará para os servidores estaduais do Poder Executivo uma “perda da massa salarial” equivalente a uma remuneração mensal (1,09).

 

As atuais tabelas salariais do QPPE – vencimento base (Lei PR n° 18.493, 24 de junho de 2015, combinada com a Resolução nº 4.279/2016), tem os seguintes valores iniciais para ingresso nas três carreiras: (AA: Classe III-1 – R$ 1.015,91; AE: Classe III-1 – R$ 1.523,85; AP: Classe III-1 – R$ 3.657,27).

 

Já as atuais tabelas salariais da ADAPAR, tem os seguintes valores: AFA (2º grau) – R$ 2.619,58 – Classe C, ref.: 1 e FDA (3º grau) – R$ 6.548,95 – Classe C, ref.: 1).

 

Auxílio Alimentação (AA) é de R$ 103,00 (para quem recebe até R$ 1.874,00) e oAuxílio Transporte (AT) é R$ 131,79 (para quem recebe até R$ 2.555,34).

 

Diante de tais fatos, a pergunta que fica é: por que tal discriminação com o funcionalismo do Poder Executivo (justamente aqueles que recebem as menores remunerações)), já que todos são servidores públicos, pagos com o mesmo dinheiro, oriundo das receitas públicas (Tesouro do Estado) ?

 

E agora, os servidores estaduais do Poder Executivo vão acatar passivamente tal discriminação ou vão se mobilizar em prol de respeito, consideração, igualdade e isonomia com relação aos seus pares dos demais dos poderes e instituições da administração pública paranaense ?

 

Curitiba, 6 de Julho de 2017.

 

Roberto de Andrade Silva, é servidor público estadual, lotado na SEAB – Curitiba e sindicalista do SINDISEAB”.

 A APRA compartilha artigo elaborado por Roberto de Andrade Silva do SINDISEAB

 

Atenciosamente.

 

JAYR RIBEIRO JUNIOR,

Vice Presidente

What Next?

Recent Articles

One Response to "APRA compartilha artigo elaborado por Roberto de Andrade Silva do SINDISEAB. Estado já deve 8,53% de data base."

  1. Lucas disse:

    nosso salario está muito defasado, é injusto deixar o executivo jogado as traças.

Leave a Reply

You must be Logged in to post comment.