SEM DEMAGOGIA! ENTENDA O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM AS PRAÇAS DA PMPR

APRA mini novo

 

.

É a gota d’água! Deputado Estadual tentando entender o que está acontecendo com a PMPR, sendo mais de 800 policiais militares que estão indo para a inatividade, seguramente quase que na sua totalidade Praças, que representam o grande efetivo e a força da Instituição.

Pois bem, vamos lá Senhor Deputado demonstrar os ‘motivos reais’ que estão impulsionando os pedidos de reserva.

Às Praças da PMPR, representadas pelos Soldados até os Subtenentes vem sofrendo duros golpes por parte do Estado e de gestões anteriores da própria PMPR.

Hoje! Um soldado é promovido a Cabo quando completar 23 anos de serviço, se tiver sorte, pois muitos acabam entrando como soldado e aposentando como soldado.

Para piorar, os Cabos para sair Sargento demoram aproximadamente 30 anos, isto mesmo, por força da novel LPP, que não trouxe uma transição nas promoções por antiguidade e merecimento.

Mais adiante, quando Vossa Excelência tiver um tempinho, verifique os níveis de subsídio das praças, ou seja, uma diferença vergonhosas ao ser comparada com os Oficiais, como chamado por deputados na Alep.

Vamos lá! A linha do tempo demonstra que em 2010, quando entrou o modelo de pagamento por ‘soldão’, os oficiais atingiram valores considerados justos pela função exercida, no entanto, as praças foram esquecidas.

Mais adiante! Em 2012, novamente reeditado o modelo que entrou em vigência 2010, regulamentando a forma de recebimento por subsídio e mantendo o ‘abismo’ salarial entre integrantes que em tese ‘deveriam’ ser da mesma classe. Se tiver um tempinho, pode correr os olhos na tabela do subsídio de 2016.

Mais adiante! A reposição salarial que ultrapassa 16 %, acumulada por mais de três anos, sem contar juros e correções monetárias decorrentes da falta de respeito do Estado.

Vamos caminhando! Como muito bem colocado pelo Dep. Fruet e o Dep. Do Carmo, porque somente as praças foram preferidas do pagamento das promoções? Talvez seja por ser de distinta classe.

Como fica a alimentação! Nada mudou, nossos Policiais militares estão trabalhando em turnos de 12 horas sem alimentação, inclusive basta simples consulta nos batalhões da capital, sem contar o pessoal do interior, que deve estar pior ainda.

Mas a carga horária está tudo bem! Não, como dito anteriormente, nada mudou. As praças trabalham em turnos desgastantes, em total desrespeito ao princípio nuclear do Estado Democrático de Direito que deveria assegurar a dinginidade de seus integrantes. Algumas pessoas desinformadas acreditam que ao regulamentar a carga horária não existiria mais motivo para manter a aposentadoria nos termos atuais, ledo engano, nossa atividade é de extrema relevância para proteção da Sociedade, e colocamos nossas vidas em risco, como nenhuma profissão faz.

Não acabamos ainda! Caso tenha interesse em saber mais, estamos a disposição.

What Next?

Recent Articles

Leave a Reply

You must be Logged in to post comment.