Escola Segura desidrata 50 % e atrai só 100 policiais

APRA mini novo

 

.

Divulgado como uma das principais promessas de campanha do governador Ratinho Jr., o programa Escola Segura, que prevê policiais militares da reserva dentro das escolas estaduais, permanece com dificuldades para decolar.

No fim de março, o primeiro edital foi suspenso diante do desinteresse por conta dos baixos valores a serem pagos. Semanas depois a PM publicou um novo chamamento com salários revisados e com mais vagas – 200 ao todo.

Porém, as medidas ainda não foram suficientes para animar a tropa. Somente 100 das 200 vagas foram preenchidas. Ou seja, um índice de 50%.

Para Foz do Iguaçu, por exemplo, das 46 vagas oferecidas houve a ocupação de 16; em Londrina o edital previa 74 policiais; 34, ou menos da metade, foram chamados, e para Curitiba e Região Metropolitana são 50 profissionais para as 80 vagas abertas.

Escola Segura desidrata 50 % e atrai só 100 policiais

O treinamento desses policiais começou nesta quinta-feira (2) em São José dos Pinhais (foto), Londrina e Foz do Iguaçu. A expectativa é de que o projeto seja lançado oficialmente na próxima sexta, dia 10.

Como os policiais atuam em dupla, o Escola Segura estará apenas em 50 colégios neste primeiro momento, 25 em Curitiba e RMC, 17 em Londrina e 8 em Foz do Iguaçu. A divulgação do governo do estado previa o programa em 100 colégios nessa primeira etapa.

De acordo com o chefe do Estado-Maior da PM, coronel Lanes Randal Prates Marques, a PM fará em breve nova chamada objetivando criar banco de reserva para garantir o atendimento das 100 escolas anunciadas para o projeto-piloto. “Deste primeiro chamamento, esta é a última fase do processo de seleção dos voluntários, para que eles possam estar atuando à frente desse projeto”, disse.

What Next?

Recent Articles

Leave a Reply

You must be Logged in to post comment.