Buscar
  • APRA-PR de Praças- Paraná Associação Praças-PR

Danos nas relações familiares demonstraram uma maior tendência de autoisolamento do policial

https://cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/repercussoes-para-o-trabalho-a-saude-e-as-relacoes-familiares-dos-policiais-feridos-por-arma-de-fogo-em-face/18296?id=18296&id=18296&id=18296


Objetivo: identificar o perfil dos pacientes operados em decorrência de ferimentos na face por arma de fogo (FAF), a distribuição anatômica destes ferimentos e conhecer as repercussões sobre a saúde, o trabalho e as relações familiares dos policiais atingidos. Métodos: foi realizado um estudo epidemiológico retrospectivo a partir de dados secundários referentes aos policiais militares que foram operados no Hospital Central da Polícia Militar do Rio de Janeiro em decorrência de FAF em face, no período de junho de 2003 a dezembro de 2020 (N = 87). Agregam-se dados de abordagem qualitativa oriundas de respostas abertas e fechadas fruto de aplicação de questionário (N=37) posteriormente aos ferimentos, indagando sobre as repercussões do acidente violento vivido para o exercício do trabalho, na família e para a saúde do policial. Resultados: o perfil dos policiais operados evidencia: sexo masculino, idade média de 34,9 anos, praças e feridos em serviço. As fraturas mandibulares foram as mais encontradas. Houve piora nas condições de saúde física após os ferimentos com aumento de casos de hipertensão, insônia (59,4%) e cefaleia (51,3%). Os danos nas relações familiares demonstraram uma maior tendência de autoisolamento do policial e sentimento de medo vivenciada por seus parentes.



11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo